A vantagem de viver na era da informação

  • Por que, pela primeira vez na história, a riqueza está disponível para praticamente todo mundo…
  • As lições valiosas que o ouro me ensinou…
  • De onde vem a verdadeira riqueza…

Caro leitor,

Como muitos de nós sabemos, agora vivemos na Era da Informação.

O problema com a era da informação é a sobrecarga de informações. Hoje, há informações em excesso.

Sem educação financeira, as pessoas não podem processar informações em conhecimento útil, conhecimento que podem aplicar. Sem conhecimento financeiro, as pessoas enfrentam batalhas financeiras. Sem conhecimento financeiro, as pessoas fazem coisas como comprar uma casa e achar que sua casa é um ativo. Ou economizar, sem perceber que, desde 1971, o dinheiro não é mais dinheiro, mas uma moeda. Ou não saber a diferença entre dívida boa e ruim. Ou por que os ricos ganham mais e pagam menos em impostos. Ou por que o investidor mais rico do mundo, Warren Buffett, não diversifica seu portfólio.

O ouro foi meu primeiro investimento real na juventude. Comecei a investir em ouro antes de começar a investir em imóveis. Em 1972, aos 25 anos, comecei a comprar moedas de ouro quando o ouro custava aproximadamente US$ 70 a onça.

Em 1980, o ouro estava chegando a US$ 800 a onça. O frenesi começou. A ganância venceu a cautela. Rumores diziam que o ouro chegaria a US$ 2.500 a onça. Investidores gananciosos começaram a estocar, comprando ouro, mesmo que nunca o tivessem feito antes.

Mas, em vez de vender algumas de minhas moedas de ouro e obter um pequeno lucro, eu as mantive, esperando também que o valor do ouro aumentasse. Cerca de um ano depois, quando o ouro caiu para abaixo de US$ 500 a onça, finalmente vendi minha última moeda. A partir de 1980, vi o ouro cair cada vez mais, chegando finalmente a US$ 250 em 1999.

Embora não tenha ganho muito dinheiro, o ouro me ensinou muitas lições de valor inestimável. Depois que percebi que poderia perder dinheiro investindo em dinheiro real, ouro, percebi que não era ouro, o ativo, que era valioso. Eram as informações relativas ao ativo que acabavam tornando uma pessoa rica ou pobre.

Em outras palavras, não são imóveis, ações, fundos mútuos, negócios ou dinheiro que enriquecem uma pessoa. São informações, conhecimentos, sabedoria e know-how, também conhecidos como inteligência financeira, que enriquecem alguém.

Saiba mais a seguir.

A era de caça e coleta

Na era dos caçadores-coletores, os seres humanos contavam com a natureza para fornecer riqueza. Eles eram nômades e iam para onde a caça era boa, e a vegetação, abundante.

Era preciso saber caçar e se agrupar — ou morrer. Para os caçadores-coletores, a tribo era a previdência social. Em termos socioeconômicos, todos eram iguais. Todos eram pobres.

A era agrária

A era agrária viu o surgimento de classes entre as pessoas. Devido ao desenvolvimento de tecnologia para plantar e cultivar a terra, aqueles que possuíam a terra se tornaram realeza, e aqueles que a trabalharam se tornaram camponeses.

A realeza andava a cavalo enquanto os camponeses caminhavam. Socioeconomicamente, havia dois grupos, os ricos e os pobres.

A era industrial

Embora muitos situem o início da era industrial nos anos 1800 com o surgimento de fábricas, na verdade, penso nela como começando em 1492 com Colombo.

Quando Colombo começou a procurar o Novo Mundo, era para encontrar novas fontes de recursos valiosos, como petróleo, cobre, estanho e borracha. Durante esse período, o valor das terras passou do cultivo para o fornecimento de recursos.

Isso levou a terra a se tornar ainda mais valiosa. E surgiram três classes: os ricos, a classe média e os pobres.

A era da informação

Hoje, estamos na era da informação, na qual informações alavancadas por tecnologia e recursos baratos como o silício produzem riqueza.

Isso significa que o preço de ficar rico baixou. Pela primeira vez na história, a riqueza está disponível para praticamente todo mundo. Atualmente, existem quatro grupos de pessoas: os pobres, a classe média, os ricos e os super-ricos.

Em minhas viagens, eu literalmente vi nativos enviando mensagens de texto em seus celulares enquanto eram transportados na traseira de uma carroça. Nas salas de aula de todo o mundo, a Internet está prontamente disponível e a tecnologia é um segundo ambiente para a maioria das crianças. Independentemente da classe socioeconômica, as informações são amplamente gratuitas e abundantes. Pela primeira vez na história, as pessoas podem acessar informações e aprender sobre qualquer coisa, independentemente de serem ricas ou pobres.

E embora a informação seja valiosa, não é tão valiosa quanto o conhecimento. O conhecimento permite filtrar informações sem importância para encontrar as informações importantes. O conhecimento dá o poder de agir com base em informações.

O conhecimento é o que enriquece — não a informação.

Meu pai rico me explicou certa vez: “O petróleo é valioso. Muitas pessoas adorariam ter muito petróleo. Mas possuir muito petróleo não tornará alguém rico. É entender como o petróleo pode torná-lo rico que traz riqueza. Por exemplo, o petróleo bruto é de pouco valor até ser refinado. Esse é um processo complicado que requer ciência e equipamento. É preciso conhecimento para refinar o petróleo e produzir combustível. O combustível é valioso e o enriquece. Mas você não pode ter combustível sem petróleo”.

Mundo moderno

Hoje, não é diferente na era da informação. Você poderia ter todas as informações do mundo, mas sem conhecimento, você ainda seria pobre. A razão pela qual Mark Zuckerberg é tão bem-sucedido é porque ele tem conhecimento sobre o que fazer com informações e conhecimento sobre como criar tecnologias para alavancar informações.

Por exemplo, Mark Zuckerberg tinha conhecimento da tecnologia da Internet que lhe permitiu criar o Facebook. Ele também sabe como formar uma equipe e encontrar pessoas mais inteligentes que ele para tornar o Facebook maior e melhor. Finalmente, ele sabe que as informações são valiosas para quem vende. O Facebook é excelente em coletar suas informações, processá-las e vendê-las a anunciantes que segmentam seus anúncios para ganhar dinheiro com você.

Não é a informação que enriquece Mark Zuckerberg, é sua capacidade de processá-la e aproveitá-la. Isso requer conhecimento. E o conhecimento vem da educação.

Hoje, em meio às notícias econômicas sombrias, há esperança para você. Vivemos em uma época em que a riqueza é abundante e acessível a todos, inclusive a você. Mas você precisa ser educado financeiramente para poder processá-la e aproveitá-la.

Convido você neste Ano Novo a aumentar seu QI financeiro, aumentando sua educação financeira. Então você poderá encontrar as informações importantes e ter o conhecimento necessário para agir.

​Robert Kiyosaki


Conteúdo Publicitário

ATENÇÃO: Não Escreva Copy Antes De Ler Esse Livro!!

Acabou de ser lançado em português o livro de Evaldo Albuquerque – A Carta de Vendas de 16 Palavras

Baixe sua cópia em pdf HOJE e mude completamente a forma como você escreve suas cartas de vendas.

E se você é iniciante, essa é a melhor maneira de começar!

Baixe Aqui