fbpx

Adivinha? Quem trabalha duro é preguiçoso

Robert Kiyosaki

Caro Leitor,

Meu pai rico com frequência dizia: “É fácil trabalhar duro e não ir a lugar nenhum. É fácil se prender a um emprego e culpar seu chefe por não te dar um bom aumento. É fácil dizer ‘não posso pagar por isso’. É fácil dizer ‘não posso fazer isso’. É fácil culpar seu marido, sua esposa ou seus filhos pelos seus problemas financeiros”. Ele também dizia: “Há muitas pessoas preguiçosas que trabalham duro. Elas continuam a trabalhar duro porque é mais fácil seguir trabalhando duro do que mudar.”

No que se refere a investimentos, meu pai rico dizia: “Muitas pessoas simplesmente entregam seu dinheiro a estranhos e ficam imaginando porque o retorno que conseguem é tão baixo. Ou muitas pessoas parecem acreditar que deve ser fácil encontrar um ótimo investimento. Parecem acreditar que grandes investimentos nascem em árvores ou que deveriam ser entregues a elas.

O fato é que é fácil encontrar investimentos ruins, não bons. O mundo está cheio de pessoas sugerindo que você coloque seu dinheiro em investimentos ruins. Se quiser que seu dinheiro trabalhe duro para você, você não pode se dar ao luxo de ser preguiçoso. Pessoas preguiçosas investem em investimentos que pessoas ambiciosas recusam.”

Não é por crueldade que digo que pessoas que trabalham duro são preguiçosas.

Eu digo isso para transmitir uma das lições mais importantes que meu pai rico já me ensinou — sua lição sobre o poder encontrado na frase “não posso”. “A frase ‘não posso’ pode enfraquecer pessoas fortes. Ela cega pessoas que podem ver, entristece pessoas felizes, transforma pessoas corajosas em covardes, rouba o brilhantismo dos gênios, faz com que pessoas ricas pensem de forma pobre e limita as realizações daquele grande ser que vive em cada um de nós.”

Milionária perde tudo

Eu li um artigo sobre uma mulher que estava enfrentando problemas financeiros. O título era “Milionária perde tudo”.

Ela tinha 70 anos, tinha se formado em Direito em uma universidade americana de elite e era uma advogada bem-sucedida. Após se aposentar, ela vendeu todas as ações que possuía e resgatou o dinheiro que tinha aplicado em fundos mútuos.

Ela afirmou que “depois da crise, me senti muito inteligente porque não tinha perdido tanto dinheiro no mercado como meus amigos tinham”. 

“Ao contrário, eu tinha mais de US$ 1 milhão em certificados de depósito bancário e recebia cerca de 5% por ano em juros. Isso significava que podia viver com US$ 50 mil que ganhava em juros anualmente, mais os US$ 22 mil que recebia do Seguro Social. Eu achava que estava numa boa situação. Oito anos depois que me aposentei, esses certificados de depósito estava rendendo menos de 1% ao ano, o que significa que os US$ 50.000 que estava ganhando em juros anuais tinham se tornado menos de US$ 10.000. Agora, estou sofrendo para fazer as contas fecharem no fim do mês, apesar de tecnicamente eu ser uma milionária. Se as taxas de juros não subirem logo, vou ter que começar a fazer resgates do valor principal. Isso significa que eu posso quebrar se tiver a sorte de ter uma vida longa.”

Como esperado, a recomendação dada pelo assessor financeiro foi: “Você fez a coisa certa, mas agora é hora de voltar ao mercado. Se você investir com sabedoria, alocando de forma correta seu dinheiro em um portfólio bem diversificado, você deve ganhar em média 5% ao ano.”

Embora essa possa ser uma boa recomendação para uma pessoa com o nível dela de educação financeira, 5% ao ano ano dificilmente pode ser considerado um bom retorno. Com um pouco de educação financeira e experiência, ela facilmente poderia ganhar 15% de retorno ou até mais. Então por que ela não conseguia esses ganhos?

Porque é uma questão de educação e de quem é o professor. Em outras palavras, porque muitas pessoas são como abelhas que estão sendo ensinadas a não voar por pessoas que também acham que não podem voar.

Papo direto e reto

Eu estava andando de carro pelas ruas da Cidade do Cabo, na África do Sul, uma das cidades mais espetaculares do mundo. Eu estava lá para fazer uma palestra a convite de um dos maiores bancos da África. Passando perto da região do porto, meu anfitrião, que estava comigo no banco traseiro do carro, disse: “Seu livros são bons. Eu gosto da ideia de investir em imóveis e ter renda passiva entrando. É uma grande ideia para o seu país, mas você não pode fazer isso aqui. Nossas taxas de juros são altas demais, então você não pode ganhar nenhum dinheiro da forma que você fala para ganhar dinheiro. Fluxo de caixa positivo com renda passiva é impossível aqui.”

O carro estava agora passando em torno de alguns dos projetos imobiliários em larga escala mais brilhantes que eu já tinha visto na vida. Os projetos comerciais e os projetos residenciais tinham design, inovação e planejamento do uso espacial de classe mundial. Parei por um momento para organizar meus pensamentos, respirei fundo e respondi ao meu anfitrião da forma mais educada possível: “Você pode não conseguir ganhar dinheiro no mercado imobiliário aqui na Cidade do Cabo, mas com certeza alguém está conseguindo.”

Um dos motivos de a abelha poder voar é que ela não sabe que não pode voar. Um dos motivos de muitos investidores não encontrarem grandes investimentos que gerem muito dinheiro é que com frequência eles dizem coisas como “você não pode fazer isso aqui”, “não posso pagar por isso”, “os preços são altos demais” ou qualquer outra coisa que as pessoas dizem para justificar a sua incapacidade de fazer o que os outros estão fazendo.

Enquanto o meu anfitrião na Cidade do Cabo estava falando, me explicando porque era difícil ganhar dinheiro investindo no mercado imobiliário local, minha mente se voltou para o meu pai rico que costuma dizer: “Pessoas pobres e pessoas preguiçosas usam a frase ‘não posso’ com mais frequência do que as pessoas bem-sucedidas. Usam a frase ‘não posso’ porque é mais fácil do que dizer ‘posso’. Se você diz que não pode fazer algo, você não precisa fazê-lo, mesmo que possa.”

Olhando de volta para o meu anfitrião, que estava olhando pela janela do carro enquanto falava, percebi que ele estava perdendo a chance de enriquecer, mas não porque era estúpido ou incompetente. Mas porque era preguiçoso. Era muito mais fácil para ele dizer “você não pode fazer isso aqui”, apesar de estar claro diante de seus próprios olhos que as pessoas estavam fazendo exatamente aquilo ali.

E meu anfitrião continuou a falar sobre suas ideias a respeito do porque minhas ideias não funcionariam na Cidade do Cabo. “Ah, os preços no mercado imobiliário subiram tanto nos últimos três anos. Como alguém pode comprar uma casa, ainda mais para investimento? Por isso digo que as suas ideias de investimento não funcionariam nesta cidade.”

Deixando ele divagar, olhei pela janela do carro e pude ver que a Cidade do Cabo era uma cidade de classe mundial e que muito dinheiro estava sendo gerado ali. Claro que a Cidade do Cabo e a África do Sul tinham seus próprios problemas que afastavam muitos investidores tímidos, mas ainda assim era óbvio para mim que muitos dólares de investidores estavam sendo despejados na cidade. Muitas pessoas estavam se tornando muito ricas. Meu anfitrião, por outro lado, estava deixando que a sua atitude pobre e a sua realidade limitante o derrotassem. Ficamos juntos por cerca de cinco horas aquele dia. Durante esse período, eu ouvi ele usar a frase ‘não pode’ ou “não posso’ muitas vezes — vezes demais.

Abraço,

​Robert Kiyosaki

Conteúdo Publicitário