Carne vegetal de US$ 4 bilhões

Robert Kiyosaki

 

Caro leitor,

No ano passado, o mercado recebeu um novo membro de capital aberto: Beyond Meat (NYSE: BYND). Uma empresa nova e interessante, e que representa uma maré de mudanças no setor alimentício.

A Beyond Meat, como o nome indica, é uma alternativa sem carne ao produto à base de carne. A empresa fabrica seus produtos principalmente a partir de proteína de ervilha.

Vi o item nos mercados locais mas como sou consumidor de carne, não prestei muita atenção. Porém, só até eu ler um artigo que dizia que a empresa vale mais de US$ 7 bilhões.

Isso torna a Beyond Meat tão grande quanto muitas outras empresas de alimentos, com muito mais vendas. O setor de alimentos provavelmente inveja o crescimento hiper-rápido da Beyond Meat.

Os fatos são: que US$ 5 bilhões em ervilhas representam cerca de 5 bilhões de quilos de proteína — ou 12 kg de proteína de ervilha para cada homem, mulher e criança nos EUA. O norte-americano médio consome cerca de 77 kg de carne por ano.

Al Root, autor do artigo intitulado Beyond Meat Is Now Worth More Than All the Peas in America para a Barron, declarou:

“Primeiro, os mercados agrícolas se ajustam e, se o mundo quiser ervilhas, os agricultores plantarão ervilhas. Segundo, a carne não cresce nas árvores. Leva cerca de sete quilos de feno fazer um quilo de carne. A proteína vegetal é mais eficiente. Terceiro, existem outras fontes de proteína vegetal, como a soja. Os EUA cultivam bilhões de alqueires de soja a cada ano”.

E o Brasil cresce tanto quanto os EUA nesse cultivo. Tudo isso é muito interessante — investir em ervilhas. Eu invisto em abacates. Assim como ouro e prata, acredito em investir em commodities.

O preço das commodities é tipicamente impulsionado pela oferta e demanda. Se houver um ano abundante de milho, os preços serão baixos, pois a oferta de milho é alta. Se, por outro lado, houver escassez de milho devido a uma seca e a condições climáticas desfavoráveis, o preço do milho será alto.

Existem muitas commodities nas quais se pode investir. Elas incluem:

  • Agricultura (como soja, trigo, leite e algodão);
  • Gado (como bovinos e suínos);
  • Energia (como petróleo, gás natural e etanol);
  • Metais preciosos (como ouro, prata, platina e paládio); e
  • Metais industriais (como cobre, chumbo, zinco e estanho).

As commodities, junto às outras classes de ativos, são uma ciência em si mesmas, e um livro inteiro pode ser (e já foi) escrito sobre cada uma delas.

Portanto, vamos simplificar e focar apenas nas poucas commodities sobre as quais muitas pessoas estão falando hoje.

  1. Prata

A prata tem sido um assunto popular nos últimos anos. O público não estava falando sobre esse metal anos atrás, mas hoje o preço dele aparece na tela da TV nos noticiários financeiros. O que torna a prata tão atraente?

A prata é uma commodity consumível. É usada na fabricação de produtos como computadores, celulares, televisores, lâmpadas, carros, espelhos, remédios e purificadores de água.

Com o crescimento dos países emergentes, a demanda por prata deve aumentar, mesmo com a oferta diminuindo.

Na verdade, pela primeira vez na história moderna, há mais ouro disponível em todo o mundo do que prata. É lógico que o preço da prata deva aumentar à medida que a demanda crescer.

  1. Ouro

O ouro é um ativo tangível que manteve seu valor ao longo da história. Ouro é dinheiro real. Uma nota de dólar, um peso ou um euro não é dinheiro real; são moedas.

Qual é a diferença? Dinheiro real tem valor intrínseco. Moedas como o dólar americano são respaldadas apenas por uma promessa.

O dinheiro real é sempre moeda, pois pode ser usado para comprar outros itens que têm valor. Moeda, no entanto, nem sempre é dinheiro porque não tem valor por si só.

Por exemplo, retire US$ 20 ou uma nota de euro da sua carteira. Você acha que esse pedaço de papel que você está segurando vale realmente US$ 20?

Não, o papel em si provavelmente vale cerca de um centavo. A única maneira de uma moeda ter valor é porque as pessoas confiam no governo que a emite e em um acordo comum de que a moeda vale alguma coisa. À medida que a confiança diminui, o mesmo ocorre com o seu valor.

Como proteção contra uma moeda e inflação enfraquecidas, o ouro pode ser um bom investimento.

  1. Petróleo e gás

O preço do petróleo e do gás é um assunto popular. Os preços desses itens afetam muitas partes de nossas vidas — plásticos, produção de alimentos, gasolina para veículos, passagens aéreas, aquecimento doméstico etc.

Como investimento, acho importante diferenciar os tipos de propriedades de petróleo e gás nos quais se pode investir. As quatro categorias principais são:

Produção: perfuração de poços que atualmente produzem petróleo e gás. Eles fornecem o menor retorno dos quatro tipos, porque há pouco risco envolvido.

Comprovado e desenvolvido: as reservas de petróleo e gás são comprovadas e existem poços de perfuração, no entanto, eles não estão atualmente operando e produzindo. Os retornos são normalmente mais altos em um desenvolvimento comprovado porque o petróleo e o gás estão lá e os poços estão perfurados. É simplesmente uma questão de começar a produção.

Comprovado e não desenvolvido: provou-se a existência de reservas de petróleo e gás, mas não existem poços na propriedade. Isso resultará em um retorno maior de seu investimento, devido ao tempo e às despesas de extração de petróleo e gás.

Exploratório: uma área está sendo perfurada em busca de petróleo e gás cuja existência ainda não foi determinada. Aqui está o maior risco e o maior potencial de retorno.

Os prós de investir em commodities

  1. Entrada fácil: por exemplo, comprar moedas de ouro e prata é muito fácil de fazer. Se você pode comprar um pouco de pão, pode comprar ouro e prata. A compra de outras commodities têm o mesmo nível de facilidade que os ativos em papel.
  2. Aumento da demanda por matéria-prima à medida que as economias crescem: por exemplo, com o crescimento da China e da Índia, há uma demanda maior por petróleo, gás, alimentos, cobre e alumínio.
  3. Uma proteção contra a inflação e uma moeda em queda: quando as moedas são desvalorizadas, as commodities geralmente aumentam. E quando os investidores perdem a confiança nas moedas, eles podem correr para commodities, especialmente ouro.
  4. Vantagens fiscais: commodities diferentes têm graus variados de vantagens fiscais. Quase todas são tributadas a uma taxa mais baixa do que os rendimentos ordinários auferidos ou provenientes de rendas e salários.
  5. Negócio em casa: uma criança pode facilmente comprar algumas moedas de prata e seguir tabelas e gráficos diários para verificar o preço atual. Envolva seus filhos o máximo possível enquanto investe. É uma ótima maneira para eles começarem!

Os contras de investir em commodities

  1. Sem fluxo de caixa: a maioria, nem todas, as commodities não geram fluxo de caixa. Elas consistem em um investimento de ganhos de capital.
  2. Sem alavancagem: o investidor médio não pode pedir dinheiro emprestado para investir em commodities.
  3. Dependência da economia: à medida que a economia desacelera, há uma demanda reduzida por matérias-primas.
  4. Volatilidade: as commodities podem ser voláteis, com altos e baixos extremos.

Kim e eu investimos nas quatro classes de ativos.

Cada classe de ativos reage aos mercados de maneira diferente, e cada ativo dentro de cada classe também pode responder de maneira diferente. Repetidamente, vemos exemplos de que aplicar todo o seu dinheiro em um lugar pode não gerar a segurança financeira que você deseja.

Portanto, é aconselhável se familiarizar com cada classe de ativos e se tornar um investidor completo.

Jogue com inteligência!

​Robert Kiyosaki

Conteúdo Publicitário