Geração Y Quebrada

  • “Por que ainda estamos ensinando às pessoas que estar livre de dívidas significa liberdade?”
  • Como os ricos usam a dívida para ficar mais ricos…

Caro Leitor,

Quase 80% das famílias de adultos jovens têm algum tipo de dívida, com aqueles entre 18 e 34 anos detendo um total de cerca de US$ 2 trilhões em dívidas nos EUA. Essa dívida afeta sua capacidade de poupar para a aposentadoria ou mesmo de sobreviver sem a ajuda de seus pais – o investimento não está em seu radar neste ponto.

Grande parte disso é dívida de empréstimos estudantis, pois as pessoas enfrentam estatísticas como esta: quase 67% de todos os empregos na economia dos EUA até 2020 precisarão de educação ou treinamento pós-secundário além do ensino médio – acima dos 28% em 1973, de acordo com o Centro de Educação e Força de Trabalho da Georgetown.

Li um artigo no money.com sobre meu bom amigo e guru financeiro, Dave Ramsey. Aparentemente, sua popularidade entre a geração Y (chamada em inglês de millennial) está crescendo. Então, é claro que tive que ler o que eles disseram.

O artigo destacou alguns dos seguidores de Ramsey que seguiram seu conselho de se tornar livre de dívidas. Todos da geração Y, que aparentemente eram pessoas inteligentes, mas que passavam dificuldades com dívidas. Eles estavam entre os que mencionei acima.

Isso me fez pensar sobre a geração Y – e todas as gerações anteriores. Eu perguntei a mim mesmo, “Por que ainda estamos ensinando às pessoas que estar livre de dívidas significa liberdade?” Finalmente, acho que as pessoas se agarram a essa ideia de se livrar da dívida porque elas têm medo do dinheiro.

Isso pode parecer estranho, mas deixe-me explicar.

A geração Y mudou-se solidamente para a pole position no que diz respeito ao local de trabalho e à nossa cultura. Com 75,4 milhões de pessoas fortes e com os membros mais antigos chegando aos 40, eles agora são a maior e provavelmente mais influente geração. Portanto, vale a pena estudar seus hábitos financeiros – e, infelizmente, eles podem estar em um mundo de mágoas.

Dívida Não É Uma Coisa Ruim?

Os ricos têm dívidas. Eles geralmente carregam muitas dívidas. Mas eles têm ativos que mais do que compensam as dívidas que possuem.

Na verdade, os ricos não apenas têm dívidas, mas também as usam para enriquecer. A diferença entre ricos e pobres quando se trata de dívida é entender a diferença entre dívida boa e dívida ruim.

Dívida ruim é a dívida que o torna mais pobre, como dívida de cartão de crédito, empréstimos para compra de carro e muito mais. Este é o tipo de dívida usada para comprar passivos.

Uma dívida boa é uma dívida que o torna mais rico, como um empréstimo para propriedades de investimento ou para comprar equipamentos para a sua empresa que lhe trarão um retorno. Esse é o tipo de dívida que é usado para comprar ativos.

Um exemplo fácil de dívida boa é o das minhas participações imobiliárias. Ao obter um empréstimo do banco, posso comprar uma propriedade com apenas uma pequena porcentagem tirada do meu bolso – e se conseguir que os investidores financiem minha compra, posso colocar US$ 0,00 do meu próprio bolso e gerar um retorno infinito sobre o investimento. Depois eu alugo essa propriedade e meu inquilino paga o custo da dívida enquanto coloca dinheiro no meu bolso.

Os negócios são a mesma coisa que o exemplo imobiliário. Você tem uma dívida boa que se paga. O fluxo de caixa do seu negócio cobre a dívida e gera receita. Essa renda pode ser transformada em mais dívida boa para criar mais fluxo de caixa.

Segundo o artigo, “Ramsey desistiu de dar conselhos de investimento nos últimos anos, mas ele ainda lida com o tema sem meio termo. Ele vincula a dívida à estupidez – e mais ainda quando se trata de empréstimos para estudantes.”

Fomos ensinados a pensar em dívida como uma coisa inaceitável, mas não precisa ser. Especialmente a partir do momento que você tem educação financeira para ver como isso pode funcionar a seu favor em vez de contra você.

Como o Dinheiro Trabalha Para Você

Eu tenho um excelente exemplo de como o conceito de dívida boa funciona. Digamos que eu tenha US$ 100.000,00. Talvez eu tenha herdado ou vendido algo valioso.

Mas eu tenho esse dinheiro. Eu posso colocá-lo em um fundo mútuo, o que é um pouco melhor do que poupá-lo. O retorno sobre ele seria um pouco mais do que apenas colocar na poupança, mas não seria muito.

No entanto, se eu usar esses US$ 100.000,00 como entrada em uma propriedade de US$ 500.000,00, então na verdade eu comprei US$ 500.000,00 em valor com apenas US$ 100.000,00! A diferença, esses US$ 400.000,00, é uma dívida boa.

Foi exatamente isso que minha esposa Kim fez em menor escala com seu primeiro investimento. Ela comprou uma casa de US$ 45.000,00 com uma entrada de US$ 5.000,00, adquirindo US$ 40.000,00 em dívidas boas, e colocou essa propriedade para funcionar. Os inquilinos pagaram a hipoteca e os impostos por ela. Ela estava lucrando, ou gerando um fluxo de caixa positivo de US$ 25,00 por mês.

Não era muito, mas foi um começo. Ela usou a mesma prática repetidamente, aumentando sua riqueza enquanto colocava o dinheiro que ganhou para trabalhar. Hoje, ela investe em milhões, mas o conceito é o mesmo.

O Pior Conselho É Economizar

Como o site Refinery29 relata, de acordo com um estudo recente da Merrill Edge sobre hábitos de dinheiro da geração Y, “66% dos participantes entrevistados acreditavam que apenas suas contas de poupança seriam suficientes para contar em 20 anos”.

Isso significa que eles têm uma forte preferência por economizar dinheiro em vez de investi-lo. Isso também significa que muitos millennials têm uma quantidade muito baixa de inteligência financeira, e que o conhecimento que eles têm sobre dinheiro decorre das antigas regras do dinheiro que não funcionam mais. Isso confirma o que escrevi antes, que a geração Y precisa de um novo plano de jogo financeiro.

Para mim, essa pesquisa é muito preocupante, porque no novo mundo do dinheiro, os poupadores sempre serão perdedores… e não podemos nos dar ao luxo de ter nossa maior geração sendo perdedores financeiros.

Nos últimos anos, o governo dos EUA criou dinheiro do nada através do que é conhecido como flexibilização quantitativa. Isso significa que eles reforçaram o balanço do Federal Reserve (Fed) comprando títulos do Tesouro americano para manter as taxas de juros baixas, na esperança de estimular a economia por esses meios artificiais. É o equivalente a você ou a mim imprimindo dinheiro para pagar nossa dívida do cartão de crédito. E funcionou… por enquanto.

Os efeitos da flexibilização quantitativa foram reforçar o balanço daqueles que já eram ricos, mantendo os salários estagnados e criando uma bolha no mercado de ações.

Isso significa que, quando o mercado de ações entrar em colapso, e quando a inflação do consumidor surgir do dinheiro da bolsa movendo-se para lugares diferentes, os poupadores serão os perdedores finais.

Eles não terão lucrado com a bolha das ações e a inflação ao consumidor, que terá potencial de ser hiperinflação e corroerá suas economias.

Pior ainda, isso pode acontecer em um momento em que será impossível se recuperar para a aposentadoria.

Encorajo você ou um millennial que você talvez conheça a abrir sua mente para além do plano financeiro pobre de economizar seu dinheiro ou se livrar das dívidas. Aprenda como o dinheiro realmente funciona e saiba como colocá-lo para trabalhar para você.

Fazendo isso, você estará se salvando de um mundo de mágoas no caminho.

Robert Kiyosaki

Conteúdo Publicitário

Coleção de Vídeos GRÁTIS… 

O autor do Best-seller Pai Rico, Pai Pobre preparou um presente para você!

A Masterclass Segredos dos Milionários

Essa série de vídeos contém os 16 Segredos sobre dinheiro que Robert Kiyosaki está trazendo para você usar no mercado brasileiro.

Você só precisa de alguns desses segredos para ter a chance de fazer uma renda extra mensal sem trabalhar uma hora a mais por dia…

Pegue Aqui Seu Acesso à Masterclass Os Segredos dos Milionários