fbpx

Por que a segurança no emprego não é um problema

  • Como o conhecimento torna você rico…
  • O tipo de educação que você precisa na Era da Informação…
  • Os três principais problemas dos atuais planos de aposentadoria de contribuição definida…

Caro leitor,

Parece ilógico que buscar segurança possa levar à insegurança.

O problema de procurar segurança diretamente é que muitas vezes isso leva a compromissos que colocam você em uma posição vulnerável.

Por exemplo, alguém pode se contentar com um trabalho desagradável, mas, ei, ele paga as contas.

Embora esse tipo de compromisso possa ser necessário a curto prazo, não é uma boa estratégia para segurança a longo prazo. Afinal, um emprego pode ser tomado por outra pessoa. Se você não controla a fonte de sua renda — sua segurança financeira —, o que acontece? Você não está de fato seguro.

Minha mãe e meu pai cresceram durante a Grande Depressão nos EUA. Esse evento histórico afetou suas perspectivas mentais e emocionais. É por isso que eles enfatizam a importância de “tirar boas notas para que você possa arrumar um emprego fixo e seguro”.

Hoje, a questão é segurança financeira, não segurança no emprego. Em grande parte, isso ocorre devido à mudança do empregador que pagava a aposentadoria por meio de planos de aposentadoria de benefícios definidos da Idade Industrial para o modelo de agora, no qual o funcionário paga pela aposentadoria por meio dos planos de pensão da Idade da Informação com contribuição definida. 

Existem três grandes problemas nos atuais planos de aposentadoria com contribuição definida. 

  1. Eles devem ser financiados pelo empregado. Muitos funcionários não estão investindo em seus planos porque precisam do dinheiro para viver.
  2. Os planos são indexados ao mercado de ações. Se o mercado de ações está em alta, o plano de aposentadoria está em alta. Se o mercado entrar em colapso, o mesmo ocorrerá com o plano de aposentadoria do funcionário.
  3. Um plano de pensão de contribuição definida pode ficar sem fundos justo quando o aposentado precisar mais do dinheiro.

Digamos que o aposentado tenha 85 anos e seu fundo de aposentadoria esteja esgotado. O ex-empregador não tem obrigação em relação ao aposentado. Por outro lado, o antigo plano de aposentadoria de benefícios definidos da Era Industrial ofereceria suporte ao empregado até a sua morte, independentemente da idade.

Minha maior preocupação é relativa aos programas de Previdência Social e Medicare do governo norte-americano. Entre os dois, a ameaça ao sistema Medicare nos Estados Unidos me preocupa mais. À medida que envelhecemos, nossos custos de vida podem diminuir, mas nossas necessidades médicas disparam. Uma doença catastrófica pode custar mais do que a casa de uma pessoa. 

Hoje, uma razão crescente por trás de muitas falências pessoais não é má administração financeira, mas doenças catastróficas.

Um amigo se feriu em um acidente de carro. Ele era o único provedor da casa, tinha um seguro médico inadequado e precisou vender tudo o que possuía para pagar pelas despesas médicas. Para piorar a situação, sua filha mais nova foi diagnosticada com leucemia, e a família agora está buscando doações e auxílio de qualquer pessoa que possa ajudar.

O que é o tempo decorrido?

Tempo decorrido significa o período entre a concepção de uma nova ideia e sua aceitação pela indústria. No mundo dos negócios, as duas indústrias com tempos decorridos mais longos são a educação e a construção.

Na indústria de computadores, o tempo de espera é de cerca de um ano. Na indústria aeroespacial, o tempo de espera é de dois anos. Isso significa que leva apenas dois anos para uma nova ideia ser concebida e adotada pela indústria. Nos setores de educação e construção, o tempo de espera é de aproximadamente 50 anos.

Muitas pessoas esperam que o sistema educacional adote a ideia de que a Era Industrial acabou. Eu duvido que o setor perceba isso até o ano de 2040, razão pela qual tantos pais estão tirando os filhos da escola e optando pelo ensino doméstico.

Não apenas as indústrias podem estar em espera, mas os indivíduos também podem estar defasados. Na era industrial, a obra de Einstein E = mc2 foi a fórmula da era. Durante a era industrial, havia duas superpotências no comando, e as pessoas viviam com medo de uma guerra nuclear entre elas.

Na era da informação, a internet não deixou ninguém no comando. A Lei de Moore está agora no comando. A Lei de Moore afirma que a informação e a tecnologia estão avançando rapidamente, se duplicando a cada 18 meses.

Isso significa que cada um de nós precisa dobrar suas informações a cada 18 meses, ou corre o risco de ficar para trás.

É por isso que, na era da informação, o que você aprende não é tão importante quanto a rapidez com que você aprende. Hoje, é arriscado receber conselhos de qualquer pessoa com informações ultrapassadas. Na era da informação, “ultrapassado” pode significar tão pouco quanto 18 meses. Não é desejável seguir conselhos de alguém que está defasado ou tem velhas respostas.

Velhas respostas podem funcionar nos programas milionários de perguntas, mas não funcionam no mundo real.

Então, que tipo de educação precisamos na era da informação?

De muitas maneiras, meus pais eram ótimos educadores. Eles ensinaram o que julgavam ser importante, mas eles não ensinaram as mesmas coisas.

Abaixo está uma lista que criei que resume a educação que recebi de dois pais. Embora existam muitos tipos diferentes de educação — por exemplo, educação física, educação musical e artística e educação espiritual, todas sendo importantes — a seguir são apresentados os três tipos fundamentais de educação necessários para o mínimo de segurança na era da informação.

  1. Acadêmica: a educação que ensina a ler, escrever e fazer operações matemáticas.
  2. Profissional: a educação que ensina as habilidades para trabalhar por dinheiro, como aprender a ser médico, advogado, encanador, secretário, eletricista ou professor.
  3. Financeira:  a educação que ensina como fazer o dinheiro trabalhar duro para você.

Obviamente, todos os três tipos de educação são vitais. Se alguém não é capaz de ler, escrever ou fazer contas matemáticas, a vida em geral será muito difícil. Infelizmente, hoje muitos estudantes estão deixando a escola com poucas habilidades nesses fundamentos.

Como o conhecimento enriquece

Meu pai rico me disse certa vez:

“O petróleo é valioso. Muitas pessoas adorariam ter muito petróleo. Mas possuir muito petróleo não tornará alguém rico. É entender como o petróleo pode enriquecer que traz riqueza. Por exemplo, o petróleo bruto é de pouco valor até ser refinado. Este é um processo complicado que requer ciência e equipamentos. É preciso conhecimento para refinar o petróleo e produzir combustível. O combustível é valioso e enriquece. Mas não é possível ter combustível sem petróleo”.

Hoje, não é diferente na era da informação.

Você poderia ter todas as informações do mundo, mas sem conhecimento, você ainda seria pobre. A razão pela qual Mark Zuckerberg, por exemplo, é tão bem-sucedido, é porque ele tem conhecimento do que fazer com informações e o conhecimento de como desenvolver tecnologias para alavancar informações.

Vivemos em uma época em que a riqueza é abundante e acessível a todos, inclusive a você. Mas você precisa ser educado financeiramente para poder processá-la e aproveitá-la.

Hoje, o conhecimento enriquece e a falta de conhecimento empobrece. Neste admirável mundo novo, o seu conhecimento é a nova moeda.

Convido você a aumentar seu QI financeiro aumentando sua educação financeira. Então você poderá encontrar as informações importantes e ter o conhecimento necessário para agir de acordo com elas.

Robert Kiyosaki


Conteúdo Publicitário