Por que sua casa não deve ser seu plano de aposentadoria

Robert Kiyosaki

 

Caro leitor,

Parece que todo “especialista” financeiro diz: “Sua casa é seu maior ativo”.

Quando escrevi Pai rico, pai pobre, eu afirmei que sua casa era um passivo.

Foi como jogar água em um ninho de vespas. Os ditos especialistas me criticaram. Na época, o mercado imobiliário estava disparando. Todo mundo me acusou de gostar de contrariar — para vender livros. Depois de uma das piores crises imobiliárias da história dos EUA, meus críticos emudeceram.

Alguns anos após o colapso, um artigo do Wall Street Journal previu:

  • Pode levar até 20 anos para recuperar a perda de US$ 6 trilhões em valores de habitação desde 2005
  • Os valores de habitação caíram mais de 30% desde que a bolha estourou por volta de 2008
  • Os números de vendas do mês anterior ao artigo, julho, deveriam apresentar uma queda de 20% em relação ao ano passado
  • Previa-se que a oferta de moradias aumentasse 12 meses — mais que o dobro do que é considerado normal e equilibrado
  • Apesar de todas essas notícias terríveis, quando indagadas, as pessoas achavam que a habitação aumentaria em até 10% ao ano na década seguinte

Mesmo com as más notícias da recuperação, as pessoas ainda tinham esperança ou crença de que o valor de sua casa aumentaria. Infelizmente, para muitos norte-americanos, sua casa era o plano de aposentadoria.

Dizem que o americano médio tem mais chances de possuir uma casa do que economizar dinheiro suficiente para se aposentar.

“Eles contam com o valor desse pé-de-meia para alimentar seus anos dourados. Mas, embora o setor imobiliário possa ser um bom investimento, não é aconselhável contar com uma casa para financiar sua aposentadoria ”, declarou Teresa Ghilarducci, presidente da Irene e Bernard L. Schwartz em análise de política econômica no Departamento de Economia da New School.

A realidade é que muitas pessoas desejam comprar uma casa porque a consideram um bom investimento. E, em muitos casos, os proprietários esperam que sua casa seja uma grande parte de seu plano de aposentadoria.

Por exemplo, veja o que Rob Carrick escreveu para o The Globe and Mail do Canadá:

“Em um estudo recente encomendado pelo Investor Office da Ontario Securities Commission, questões relacionadas à aposentadoria estavam no topo da lista de preocupações financeiras dos residentes de Ontário com 45 anos ou mais. Três quartos das 1.516 pessoas da pesquisa possuem casa própria. Dentro deste grupo, 37% disseram que estão contando com aumentos no valor de sua casa para garantir sua aposentadoria.”

O sentimento, tenho certeza, é o mesmo aqui nos EUA e em muitos lugares do mundo.

Como a lição ainda não chegou a muitos norte-americanos, repetirei aqui: sua casa não é um ativo. É um passivo.

Em termos bem simples, um ativo é algo que coloca dinheiro em seu bolso. Um passivo é algo que tira dinheiro de seu bolso.

A razão pela qual as pessoas estão confusas e acham que uma casa é um ativo é que, desde a década de 1970 até o início da década de 2000, elas foram capazes de extrair dinheiro de sua casa na forma de empréstimos, como um caixa eletrônico imobiliário. Agora que os preços se estabilizaram, elas podem começar a pensar a mesma coisa novamente.

Como em 2010, um artigo do New York Times afirma:

“A riqueza gerada pela habitação nessas décadas, principalmente nas costas, fez mais do que garantir aos proprietários uma aposentadoria confortável. Isso impulsionou a economia, pagando pela educação de filhos e netos, mantendo os navios de cruzeiro e campos de golfe lotados e os restaurantes cheios.”

O problema é que a riqueza não foi gerada. Foram geradas dívidas.

As pessoas não vendiam suas casas para pagar coisas como educação universitária e férias; elas tomaram empréstimos com seus imóveis. No processo, desenvolveram a ilusão de que estavam investindo em um ativo, quando, na realidade, estavam aumentando um passivo assumindo cada vez mais dívidas ruins.

Conteúdo Publicitário

Dinheiro entra, dinheiro sai

Seu consultor financeiro, agente imobiliário e contador chamam a sua casa de um ativo. Mas, na realidade, um ativo é apenas algo que coloca dinheiro em seu bolso.

Se você tem uma casa que aluga para inquilinos, ela é um ativo. Se você tem uma casa, quitada ou não, em que mora, ela não pode ser um ativo. Em vez de colocar dinheiro em seu bolso, ela tira dinheiro de seu bolso.

Essa é a própria definição de um passivo.

Isso é duplamente aplicável se você ainda não quitou sua casa. Então ela é um ativo do banco, e está trabalhando para eles, mas não gerando renda para você.


Então, o que é um ativo?

Em termos comerciais, os ativos são seus prós e os passivos são seus contras. Você precisa de ativos para compensar seus passivos. Mas o que exatamente são ativos?

A simples definição de um ativo é algo que coloca dinheiro no seu bolso. Isso ocorre por quatro categorias diferentes, uma das quais é imobiliária.

Quando digo imóveis, não me refiro à sua residência pessoal, que é um passivo. O que quero dizer é investimento imobiliário, que seja um ótimo investimento, porque coloca dinheiro em seu bolso todos os meses na forma de aluguel.

Existem três outros ativos principais: negócios, títulos e commodities. Se você é um empresário ou proprietário de uma empresa, sua empresa é um ativo. Ativos em papéis são ações, títulos, fundos mútuos e assim por diante. Finalmente, as commodities incluem ouro e outros recursos, como petróleo e gás, e assim por diante.

Minha esposa e eu começamos a ganhar dinheiro com imóveis, colocando nosso dinheiro para trabalhar em propriedades que poderíamos alugá-las para receber renda contínua.

Depois disso, diversificamos, e agora aplicamos dinheiro em todas essas quatro áreas de ativos.


Aprenda com o passado, construa para o futuro

Minha esperança é que você — e o mundo — aprenda com o passado e comece a construir um futuro financeiro seguro.

Nesse futuro, você não confia em sua casa como sendo seu principal pé-de-meia. Pergunte às pessoas que há dez anos estavam à beira da aposentadoria que final isso teve.

Nesse futuro, você conta com inteligência financeira para encontrar ativos de fluxo de caixa que geram renda mês após mês.

E parte de ter inteligência financeira é investir seu tempo em educação financeira.

​Robert Kiyosaki

Conteúdo Publicitário