Quem é o seu verdadeiro chefe?

  • Qual é o efeito dominó do mercado imobiliário…
  • Por que pai rico adorava alugar propriedades…
  • O verdadeiro motivo por que os bancos ficam muito felizes quando te dão uma hipoteca…

Caro leitor,

Quando se trata de dívida boa versus dívida ruim, deixe-me repetir o que o pai rico costumava dizer, “Todas as vezes que dever dinheiro para alguém, você se torna empregado do dinheiro para quem deve.”

É isso, se você fizer um financiamento de 30 anos, instantaneamente, torna-se um empregado do banco pelos próximos 30 anos. Infelizmente, eles não te dão um relógio de ouro quando a dívida é quitada. 

Pai rico pegava dinheiro emprestado, mas ele fazia o possível para não ser, exatamente, a pessoa que pagaria pelo financiamento.

Essa é a chave. 

Seu conselho é digno de ser repetido: Dívida boa é a aquela que alguém paga por você, e dívida ruim é aquela que você mesmo paga com seu sangue e suor.

Ele amava alugar propriedades porque “o banco te deu o financiamento, mas é o inquilino que paga por você.”

Vou utilizar um exemplo típico da vida real para ilustrar como funciona.

Comprar uma casa

Imagine que você tenha encontrado uma linda casinha com uma ótima vizinhança. É verdade que as casas precisam de alguma reforma — quem sabe um telhado novo, calhas novas e talvez uma nova pintura.

Mas, no geral, é cercada por casas com boa manutenção, a vizinhança e a escola são boas.

Melhor ainda, a casa fica próxima a uma universidade estadual local que está sempre cheia de estudantes em busca de dormitórios, além disso, a cada ano, o campus cresce mais.

O dono quer se aposentar e mudar para um lugar mais quente e ensolarado.

Ele está pedindo $110.000 pela casa. Você negocia um pouco e finalmente chegam ao valor de $100.000. Você já tem $10.000 de economia no banco, então, precisa pegar uma hipoteca de pelo menos $90.000. No entanto, os $10.000 é tudo o que você tem de dinheiro nas mãos, e decide pegar uma hipoteca de $100.000.

Por quê? Porque com os $10.000 adicionais, você pode pagar todos os custos do banco, bem como contratar um pedreiro para pintar a casa e fazer os devidos reparos no teto e nas calhas.

Na maioria dos casos, o banco ficará muito feliz em te dar o financiamento. Por quê? Porque a hipoteca é segurada pelo valor colateral da casa.

Nos Estados Unidos, se você for a um banco e pedir um financiamento de $100.000 e não tiver nenhum bem colateral como garantia, o banco irá mandá-lo ir dar uma volta. Mas com uma casa como garantia, o banco, normalmente, ficará feliz em financiar seu empréstimo.

Lembre-se, o banco está nos negócios de empréstimos — e farão, quando souberem que existem garantias reais para assegurá-lo.

Lidando com o banco

Vamos continuar. Sob as atuais taxas nos EUA, o banco concede uma hipoteca de 30 anos a uma taxa de 4,5 por cento. Primeiro, claro, eles querem aqueles $10.000 em dinheiro como pagamento inicial, e você paga. Então, somado aos $100.000 de hipotecas, o valor total de seu investimento é de $110.000.

De acordo com as taxas, o pagamento da sua hipoteca mensal será cerca de $700. No entanto, como mencionado anteriormente, você não quer ser um empregado do empréstimo bancário pelos próximos 30 anos. Enquanto tiver esse débito, você estará trabalhando para o banco. A melhor saída é ter alguém que pague essa dívida para você.

Pai rico sugeriria que, no mesmo momento em que fechar o acordo e assumir a dívida, então, comece a anunciar para a universidade local a possibilidade de alugar a casa para os estudantes.

Digamos que você cobre $1.000 de aluguel por mês. Se a casa tiver quatro quartos, poderá acomodar facilmente quatro estudantes pagando $250 mensais cada. Essa é uma quantia muito aceitável, até mesmo para os estudantes com menos recursos.

Ou, você pode, simplesmente, deixar a casa com uma agência imobiliária para cuidar de todos os negócios do aluguel. Por uma pequena taxa de manutenção mensal, muitas agências imobiliárias não só encontrarão locatários, mas também cuidarão de todos as pequenas manutenções necessárias, como desentupir um vaso.

O efeito dominó do mercado imobiliário…

Aqui estão as boas notícias. Se sua propriedade alugada está lhe rendendo $1.000 por mês, e sua hipoteca é de somente $700, então, seu fluxo de caixa líquido é de $300 mensais. Esse lucro líquido é conhecido como lucro passivo.

Ou seja, é aquele que você não faz nenhum esforço ou trabalho pesado para ganhar. Ao mesmo tempo, alguém, seu inquilino, está pagando sua hipoteca de 30 anos para você, enquanto ainda ganha $300 por mês.

Uma das melhores coisas em relação ao fluxo de caixa é que você não precisa ter centenas de milhares de dólares em economia para alcançar liberdade financeira. Isso ocorre porque o fluxo de caixa gera mais fluxo de caixa.

O primeiro investimento de fluxo de caixa da Kim (em 1989) foi uma pequena casa de dois quartos e um banheiro em Portland. Seu maior fluxo de caixa era de $50. Não era muito, mas era um começo.

Até que, chega a um ponto no seu processo de investimentos onde o fluxo de caixa não somente paga todas as suas despesas diárias, mas também cobre seus próximos investimentos. Seu fluxo de caixa gera novos ativos, que, por sua vez, gera mais fluxo de caixa. Isso não é espetacular?

A filosofia de investimentos do pai rico

A filosofia de investimentos no mercado imobiliário do pai rico é, primordialmente, baseada em fluxo de caixa. Você tem um fluxo de caixa positivo no final de cada mês?

Existe também um possível bônus de valorização. Enquanto ganha aquele lucro extra mensal, você também está pagando sua hipoteca mensal. O que significa que, lentamente, mas de forma sólida, você está levando mais patrimônios para sua casa.

Como os imóveis tendem a valer mais ao longo dos anos, seu investimento original de $110.000 na casa, pode também estar se valorizando. Em outras palavras, se daqui a 10 anos você decidir vender a casa, o mercado pode avaliá-la em $125.000.

Então, no papel, você teria um bom lucro limpo de $15.000 com a venda da casa, somado ao lucro passivo que recebeu em todos esses anos.

Seu objetivo é ter mais fluxo de caixa entrando do que os gastos com as despesas diárias. Esse é o máximo da liberdade fiscal — ter seu ativo trabalhando por você, ao invés de você trabalhando por seu ativo.

​Robert Kiyosaki

Conteúdo Publicitário