fbpx

Ainda dá tempo de lucrar com ela

 

DIRETO DE WALL STREET…

Evaldo Albuquerque

Caro leitor,

Após três anos de atrasos – e uma ação judicial – o governo federal começará a processar pedidos que permitem o cultivo de maconha para uso científico.

A decisão abre a porta para que os cientistas cultivem mudas de cannabis para testes científicos.

Até agora, os pesquisadores que queriam estudar as amplas aplicações médicas do precisavam obtê-lo na Universidade do Mississippi.

No entanto, de acordo com os principais cientistas no campo de pesquisa afirmam que as quantidades disponibilizadas não têm sido suficientes o bastante para tais estudos.

Ademais, a Dra. Sue Sisley, que chefia a pesquisa sobre maconha no Scottsdale Research Institute no Arizona, disse que a erva cultivada pelo governo federal vem em “lotes genéricos de pó verde mofado, cheio de caules, paus e folhas”.

De acordo com ela, a maconha fornecida está, na realidade, prejudicando os dados e resultados colhidos.

Outros pesquisadores disseram que o conteúdo de THC da planta cultivada é tão baixo que sequer consegue realizar os testes que precisam para avaliar a sua utilização.

O DEA mudou sua política de permitir que os pesquisadores cultivem maconha em 2016.

Desde então, mais de 30 organizações se inscreveram com o objetivo de levarem a cabo pesquisas científicas com a cannabis. Entretanto, três anos depois, poucos obtiveram a licença.

Para eliminar a burocracia que estava travando tais pesquisas de seguirem adiante, muitas dessas organizações optaram por conseguir autorização através da justiça.

“Estou satisfeito que a DEA esteja avançando com sua análise de pedidos para aqueles que procuram cultivar maconha legalmente para apoiar pesquisas”, disse o procurador-geral William Bar, que sabe muito bem que isso só está avançando porque alguém foi processado.

No momento, o status da maconha nos EUA atrapalha a pesquisa médica séria e a legalização generalizada. Embora muitos estados tenham liberado o seu uso medicinal e recreativo, ainda há muito a ser feito a nível federal.

Seja como for, as mudanças estão ocorrendo gradativamente. Esse é o tipo de situação que não se transforma da noite para o dia.

Sob esse aspecto, o fato dos pesquisadores finalmente terem liberdade para cultivar maconha destinada às pesquisas e estudos científicos é mais um grande passo para flexibilização da substância e sua futura utilização em produtos, fármacos e afins.

Veja o Canadá por exemplo. Até 2015, a maconha recreativa era 100% ilegal por lá.

Menos de cinco anos depois, tornou-se tão normal quanto comprar uma latinha de refrigerante.

Enquanto isso, pessoas comuns como eu e você temos a possibilidade de investir em ações de empresas do setor para garantir uma aposentadoria tranquila.

Agora, quando os Estados Unidos estiverem no mesmo patamar em relação à legalização da maconha – e cientistas, empresas, pessoas e investidores tiverem a liberdade de ir e vir – o boom dessa indústria será imensurável.

Novas empresas, negócios, produtos e serviços relacionados à comercialização da maconha surgirão, impulsionando as vendas e os lucros das empresas que tiverem se estabelecido no maior mercado consumidor da substância.

Depois não vale dizer que eu não avisei… ainda dá tempo de colocar uma pequena parcela do seu capital nessas ações.

Abraços,

Evaldo Albuquerque


Conteúdo Publicitário

Não Compre Outra Ação Antes de Ver Este Vídeo!!

Se você já perdeu dinheiro investindo em ações, você sabe como é difícil derrotar o sistema, porque o jogo é manipulado contra você…

Para te ajudar, Robert Kiyosaki, autor do best-seller Pai Rico, Pai Pobre gravou uma coleção GRATUITA de vídeos onde mostra os 16 Segredos dos Milionários.

Em um desses vídeos, ele vai te mostrar a estratégia dos milionários para investir em ações – e você vai se surpreender com a informação.

Tudo isso você vai receber gratuitamente na Masterclass Segredos dos Milionários

>>>> Clique Aqui Seu e Reserve Sua Vaga <<<<